18.12.07

UAI CU 1 RIO



Compor não é harmonizar espaços nem tampouco desarticulá-los. Compor é, antes de tudo, aproximar, isto é, avizinhar-se a algo num processo de relações. Há vizinhança de muro, de cerca, de abandono, de janela, porta, andar, calçada, rua, bairro, praça, cidade etc. Fronteiras, composição. Não há fronteira entre a sua rua e a do seu vizinho de porta/estado. Qual a fronteira da fronteira? Somos errantes enquanto compomos com a ambiência que é cada um. Áreas reticul(ar)es.

Labels:

1 Comments:

Blogger corpos said...

texto publicado na revista polêmica imagem número 22.
www.polemica.uerj.br

December 18, 2007 at 8:27 PM  

Post a Comment

<< Home